quinta-feira, junho 18, 2009

CAMINHO SEM RUMO





Pastora da terra, de vários rebanhos
Por todos os lados o vento resolve
Não sei se o conduzo, não sei se o acompanho
Tendes sempre o ínicio da sombra que foge

As ordens da madrugada romperam
sobre os montes
Não pretendo mais nada se não ir
andando á toa
Vejo um caminho sem campos verdes
nem fontes
Debaixo de um sol quente e redondo, que
a minha pele queima e magoa
Fica-se longe, quase morta e ausente
Tude se apaga, evapora e esfuma
Tudo se desfaz por entre os dedos, vagamente
Sem ter certeza de ninguêm... de coisa nenhuma

FF

segunda-feira, julho 07, 2008

sexta-feira, abril 18, 2008

PLENITUDE....PIENEZZA



Plenitude.......?
Eu não sei esta palavra
Um dia eu a vi atrás de uma janela
Ela abriu a sua porta
Segurou-me pela mão
E eu prendia-a nos meus braços
Nós caminhamos juntos
A chuva da dor já tinha passado
Caminhamos juntos debaixo do sol do destino
Um olhar
Um toque
Um sorriso
Uma carícia
Um beijo
E eu sei agora
O que é a plenitude
Simplesmente TU es.........



Pienezza............???
Non conosco la parola......
Un giorno la vidi dietro una finestra
Lei aprì la sua porta
Mi prese per la mano
E io la presi in braccio
Camminammo insieme
La pioggia del dolore già era terminata
Camminammo insieme sotto il sole del destino
Uno sguardo
Un tocco
Un sorriso
Una carezza
Un bacio
Ora io so
Quello che è la pienezza
Semplicemente TU sei......




Io gli presto il mio corpo
Cosi’
In lui potrebbe camminare
Al suono dei miei gemiti
Lui potrebbe dilettarsi
Senza fiato...
Di desiderio
Tra bisbigli e sospiri
Niente é più importante
Solamente l'istante...
Nel quale anche io vado
A chiedere
Al mio corpo di farlo a sua volta
Ora per
Poter amarti

sexta-feira, março 14, 2008

SERÁ QUE...



Será que já posso pensar
Que a dor estou a vencer?
Será que posso sonhar
Que o devo começar a fazer?

Será que a fase obscura
Que um dia me destruiu
Será que a tua procura
Que em mim já se extinguiu?

Será que vale a pena
Que volte a ser o que era?
Será que a mente pequena
Que é tudo o que me espera?

Será que há outra vida
Que nos espera depois da morte?
Será que de alma perdida
Que navego sem ter norte?

FF

domingo, março 02, 2008

EU PROMETO(TE)




Prometo que serei feliz
Prometo ao meu coração
Prometo porque me diz
Prometo que lhe darei razão

Prometo encontrar o sorriso
Prometo as lágrimas, secar
Prometo porque preciso
Prometo continuar

Prometo ficar acordada
Prometo não perder a esperança
Prometo desesperada
Prometo não ser criança

Prometo sair do abismo
Prometo não falar de morte
Prometo sem cinismo
Prometo esperar a sorte

Prometo fazer o que me pedir
Prometo calar meus ais
Prometo, para te ver sorrir
Prometo meu querido pai

Promete que me abraças
Promete que ficas comigo
Promete para que eu faça...

Promete Pai...
Sem ti não consigo...


FF

sexta-feira, fevereiro 22, 2008

LIBERTAÇÃO



Maldito tempo perdido
Aqui neste labirinto
Tristezas no meu corpo detido
Das loucas saudades que sinto

Contigo tudo tinha magia
Comecei por te admirar
Não percebendo o que sentia
Acabei por me apaixonar

Sinto a tua mão tocar a minha
Vibrando de emoção
Deus comigo caminha
Na tua direcção

Uma luz brilhante se aproxima
Trazendo tranquilidade
Erguendo as mãos para cima
Despeço-me da humanidade

FF

sexta-feira, fevereiro 15, 2008

ESTOU QUASE


De coração saudoso sangrando
Sem o afago das mãos amadas
Sentindo o mundo acabando
Como as ondas na praia quebradas

Sempre que a memória recorda
E vai penetrando o passado
Sinto o aperto da corda
No meu peito estilhaçado

Dói profundo no peito
Esta ausência de paixão
Choro sozinha no leito
Nada dói, como a solidão

Estou quase sem sentimento
Estou quase sem ilusão
Estou quase no esquecimento
Estou quase sem coração

FF

domingo, fevereiro 10, 2008

AMOR QUE É TEU




Não chores mais o erro cometido
Que te sobram razões para o compensar
Luta, não fiques adormecido
Porque és o único que pode recomeçar

Quando me tratas mal e com desprezo
Lutando contra mim, fico a teu lado
De nós dois quem sairá mais leso
São loucuras de quem está apaixonado


Será que é melhor te afastares?
Enquanto eu viva, tu és sempre meu
Não há mais vida, se tu não ficares
Pois eu vivo deste amor que é teu

Amo-te como amigo e como amante
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo que cresce a cada instante
Queria ter-te amado mais, mas não pude

FF

quarta-feira, janeiro 30, 2008

CONSTELAÇÃO




Chorando o já chorado e sofrido
Eu convoco as lembranças do passado
Lastimo o que deveria estar esquecido
Meu Deus, tanto tempo desperdiçado!

Vergada na própria dimensão
Da minha juventude imperfeita
No ritmo doente de uma paixão
De alma ferida, loucura eleita

A minha mente inconstante não te afecta
Nem a minha vida ligada à tua sorte
Mas a justiça dos homens me condena
Perpetuamente, á tua morte!

De que substância sou modelada?
Ou serei mera imitação,
De sombras difundas, enfeixada
Em brilhante constelação...

FF